Tudo Sobre Criptomoedas

por | 6 de abril de 2018

Compartilhar é se importar!

,Tudo Sobre Criptomoedas

Tudo sobre as criptomoedas

O que são as criptomoedas?

Uma criptomoeda é uma espécie de dinheiro digital que usa a tecnologia block chain e criptografia. A Bitcoin foi a primeira moeda do tipo, mas desde 2009 diversas criptomoedas foram desenvolvidas. As novas criptomoedas são baseadas no protocolo Ethereum, sistema descentralizado que usa block chain, com uma rede de nós públicos internacionalizada. Portanto, a forma de controle dessas criptomoedas é bem diferente da forma dos bancos centralizados. Os sistemas bancários, como operam com rede centralizada, emitem moedas de forma controlada. Já as criptomoedas são produzidas coletivamente. Todos os usuários podem acessar as informações de transação operadas através de um código aberto de programação.

O ouro digital

As criptomoedas são planejadas para serem raras, de forma a serem mais valorizadas. Há um número máximo de moedas em circulação, o que também evita a hiperinflação. É um sistema planejado de forma a funcionar como o processo de mineração de metais preciosos, como o ouro e a prata. Por isso, o processo de geração das criptomoedas é chamado de mineração. A mineração de uma criptomoeda exige muito de um computador. Há empresas com hardware especializado somente para a realização desse processo, que confirma as transações. Porém, existem criptomoedas novas que usam processos de mineração mais leves e que permitem que um usuário individual faça esse trabalho. Como é o caso da Nióbio Cash, criptomoeda brasileira.

Uma breve história das criptomoedas:

Wei Dai (engenheiro da computação) publicou em 1998 uma sucinta descrição do “Dinheiro B”, um sistema eletrônico porém anônimo de realizar pagamentos. Todas as criptomoedas que começaram a ser desenvolvidas desde então são computadas e criptografadas. Em 2009, foi criada, a tão conhecida Bitcoin pelo usuário Satoshi Nakamoto (anônimo). Em 2011 a Litecoin foi lançada usando scrypt em vez da função hash criptográfica, fazendo a confirmação das transações ficar mais rápida. Desde 2009, muitas outras criptomoedas foram lançadas. O sucesso de cada uma varia de acordo com a inovação técnica que essas proporcionam. Hoje em dia há inúmeras criptomoedas sendo lançadas e comercializadas no mercado especulatório de investimentos.

Caixa eletrônico de criptomoedas:

É uma curiosidade interessante, o fundador do Robocoin (Jordan Kelley) em fevereiro de 2014 lançou um caixa eletrônico para sua criptomoeda. Era um quiosque instalado na cidade de Austin do Texas (EUA), que possuía scanners para a identidade de seus usuários através de suas habilitações ou seus passaportes.

Fraude ou inovação?

O problema da legalidade das criptomoedas varia em cada país. Ao longo do histórico do desenvolvimento das inúmeras criptomoedas, houve reações diferentes por parte de governos e entidades financeiras. Assim, alguns países como a China e Alemanha, restringiram ou baniram o uso legal das criptomoedas. Como são moedas eletrônicas transacionadas com criptografia fica praticamente impossível que os governos ou sistemas bancários tenham tecnologia para controlá-las. Há atualmente cerca de três mil modalidades de criptomoedas ativas circulando na Internet. Isso até poderia abrir espaço para práticas criminosas como a fraude e a lavagem de dinheiro. Porém, há incentivos para que a maioria dos mineradores mantenham o sistema de forma honesta com compensações financeiras. Com certeza, é um sistema que chama a atenção dos investidores, mesmo sendo considerado arriscado.

Principais criptomoedas:

  • Bitcoin (BTC): desenvolvida pelo usuário Statoshi Nakamoto, definitivamente é a mais popular e conhecida atualmente no Brasil.
  • Litecoin (LTC): moeda com protocolo ponto a ponto (P2P), descentralizada e descrita no mercado como a “prata digital”.
  • Ethereum (ETH): permite que o desenvolvedor crie sua própria criptomoeda e banco para emissão de dinheiro digital.
  • Ripple (XPR): criptomoeda que é definitivamente uma das com maior destaque pelo seu grande valor de mercado. Conta com um certo apoio de algumas instituições bancárias.
  • Blackcoin (BLK): também é uma criptomoeda P2P estável e segura. Usa um processo de minting para assegurar sua rede.
  • Dash (DASH): no último ano estima-se que o valor dessa criptomoeda tenha subido mais de 180%, sendo já é considerada a quarta moeda digital do mercado.

Há suposições de que haja cerca de três mil criptomoedas diferentes no mercado atualmente. Outros exemplos são: DigitalNote, Mastercoin, Namecoin, Nxt, Peercoin, Emercoin, E-coins, Zerocoin, etc.

Criptomoeda brasileira:

Lançada em 2017, a Nióbio Cash (NBR) é uma criptomoeda genuinamente brasileira. São somente 336 milhões de unidades mineradas, oferecendo transações irrastreáveis e anônimas criptografadas. Ao contrário de outras criptomoedas mais antigas, a mineração é facilitada, podendo até mesmo ser feita com um computador de baixo desempenho. Então, já é possível se tornar minerador de uma criptomoeda legitimamente brasileira e que conta com um tempo de confirmação de em média 3 minutos.

Investir em criptomoedas:

Há oportunidades de compra em diversos sites da Internet. O ano de 2018 pode ser considerado como o ano das criptomoedas, afinal nunca foram tão discutidas em todos os meios de comunicação. O interesse dos investidores também nunca esteve tão em alta. Apesar de o investimento ser considerado de alto risco, as possibilidades de ganho com a especulação são muito boas. Portanto, esteja atento sobre as oscilações e estimativas, sobre as altas e as quedas da moeda. Caso você esteja decidido a investir, considere comprar uma quantidade segura que não incorra em perdas excessivas caso haja alguma queda ou proibição. Sobretudo, saiba que uma tecnologia desenvolvida com algoritmos tão poderosos pode ter vindo para ficar. Afinal, a evolução tecnológica não comporta um retrocesso somente a evolução dos sistemas e processos. Assim, mesmo que não seja oficialmente reconhecida, você pode considerar investir nas criptomoedas para o seu futuro.

Ficar rico com criptomoedas:

Nos últimos meses de 2017 e adiante, houve um tipo de boom de criptomoedas. As Bitcoins tiveram uma supervalorização nos últimos 2 meses de 2017 de cerca de 400%. A popularização muito provavelmente gerou essa alta, uma grande demanda por causa do interesse das pessoas nessa tecnologia. Como resultado, os investidores nas criptomoedas tiveram um aumento de patrimônio considerável. É preciso considerar algumas questões:

  • Criptomoedas são ativos virtuais, nem sempre reconhecidas por bancos. Portanto, você poderá ter problemas para converter seus valores em dinheiro real.
  • O volume de transações subiu, bem como o preço. Isso é excelente, porém a block chain pode ficar congestionada.
  • Para transferir criptomoedas, você terá que fazer a transação através de um sistema que aceite a moeda virtual na qual você investiu.
  • Estude muito sobre o assunto e procure tutoriais sobre como converter suas criptomoedas em dinheiro, caso seja necessário.
  • Essas moedas virtuais foram pensadas e criadas param permanecerem valorizadas e isso é uma grande vantagem.
  • Milionários e bilionários do mundo todo estão investindo nas criptomoedas como reserva de valor.
  • Não fique preso ao investimento na Bitcoin, procure altcoins em alta, como as outras criptomoedas citadas acima.
  • Como resultado de um investimento relativamente baixo, em pouco tempo você poderá ter uma pequena fortuna.
  • Procure informações sobre start-ups relacionadas às criptomoedas, elas estão sendo alvos de grandes investimentos.
  • A partir de agora podemos somente vislumbrar um possível grande futuro para esse tipo de tecnologia.
  • Esta pode ser a mais nova revolução tecnológica que mudará a forma como as transações financeiras são feitas.

Tecnologias que revolucionam chegam para ficar

Em conclusão, pode-se considerar que as criptomoedas são investimentos atrativos. As tecnologias das novas criptomoedas são ainda mais avançadas em termos de velocidade e segurança. Além disso, mesmo que não passem por um controle bancário; estão despertando o interesse de investidores e empresas. Apesar de haver grande resistência por parte dos sistemas oficiais, vagarosamente a tecnologia está sendo considerada segura. Dessa maneira, por mais que o boom seja relacionado a uma popularidade causada pela viralização das criptomoedas na Internet, a tendência é a de que haja uma oficialização. Igualmente, as oscilações de mercado refletem essa dúvida em relação à aceitação oficial ou não.

Assim, apesar de ser algo muito novo; os protocolos estão disponíveis desde 2009. Indubitavelmente é uma alternativa a ser considerada caso você queira investir parte de seu patrimônio para obter lucros mais altos com especulação. Mas tome cuidado, invista uma quantidade que não causará prejuízos caso ocorra algum problema com as oscilações da sua criptomoeda escolhida.

Originally posted 2018-04-06 15:15:44.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *