Renda Fixa – Onde Investir

por | 6 de abril de 2018

Renda Fixa - Onde Investir

Onde investir na renda fixa

Caso você se interesse em investir em fundos de renda fixa também pode estar considerando onde colocar o seu dinheiro. Quando o investidor compra um título de renda fixa, na verdade está emprestando dinheiro ao emissor. Esse emissor pode ser um banco, o governo ou até uma empresa. A remuneração que o investidor receberá em troca será na forma dos juros ou correção monetária.

Entenda melhor os títulos de renda fixa:

Os títulos de fundos para renda fixa podem ser LCIs, CRIs, LCAs, CRAs, CDBs,Títulos Públicos e Debêntures. A seguir, veremos em mais detalhes cada tipo de fundo de renda fixa disponíveis aos investidores.

Os LCIs

Letras de Crédito Imobiliários são investimentos de renda fixa que financiam projetos no setor imobiliário. Assim, esse tipo de investimento é isento de imposto de renda e conta com até 250 mil de garantia pelo FGV. Em segundo lugar, consiste em um tipo de investimento que requer um perfil de investidor mais conservador. Mesmo assim, é visado em toda a comunidade de investidores como sendo uma boa opção de investimento.

Os CRIs

Consistem em títulos que geram créditos diretos aos investidores que, por sua vez, terão direito a uma remuneração periódica por parte do emissor. Também são destinados a financiar ações do mercado imobiliário, como financiamentos residenciais, construções ou contratos vinculados a aluguéis. Dessa forma, as taxas de juros obtidas são pré-fixadas ou flutuantes. Consequentemente, o investidor deve estar atento às taxas. Isso será fundamental para obter as estimativas de ganhos esperadas com investimentos em CRIs.

As LCAs

São Letras de Crédito dos Agronegócios e serão emitidas pelas instituições financeiras para financiamento do setor agrícola. Simplificando, você estará emprestando dinheiro que será investido em agronegócios. Por sua vez, você receberá o dinheiro emprestado com uma taxa de juros acrescida. Esses títulos podem remunerar o investidor ao mesmo tempo em que fomentam os investimentos no setor agrícola e na agropecuária. Além disso, estão vinculados a empresas de cooperativas e de produtores rurais. São títulos usados na produção de insumos agropecuários e investimentos tecnológicos nesse setor.

Os CRAs

São os Certificados de Recebíveis dos Agronegócios, assim são lastreados em recebíveis. Esses, por sua vez, vêm dos negócios realizados por produtores ruais. As empresas cederão seus recebíveis para uma seguradora que, por sua vez, emitirá os CRAs. Posteriormente à emissão, esses certificados serão disponibilizados no mercado de capitais.

Os CDBs

Os CDBs são títulos de renda fixa de Certificado de Depósito Bancário, emitido pelo banco. Esses certificados servem como uma garantia dos bancos de que o dinheiro investido no financiamento de suas atividades será reembolsado. Dessa forma, os rendimentos são revertidos ao investidor em forma de juros. Assim é analisada sua lucratividade. A rentabilidade dos CDBs é diária e podem variar de acordo com o índice da inflação ou não.

Títulos Públicos

Esse é um tipo de investimento de renda fixa ligado ao Tesouro Direto. Nos investimentos de renda fixa através de títulos públicos o investidor conhecerá as condições de rentabilidade previamente. Porém, não sabe qual será a real lucratividade. O investidor, ao optar por títulos públicos, sabe que seus rendimentos serão indexados pela Selic.

Os Debêntures

São também títulos de renda fixa que implicam em um empréstimo para determinada empresa. Essas empresas não constituem instituições financeiras ou de crédito imobiliário. Isso diferencia os debêntures de outros tipos de títulos de renda fixa. Em suma, são emitidos pela própria empresa. Têm um pouco mais de flexibilidade do que a LCA ou a LCI pois as características desses títulos serão definidas no momento de sua emissão.

As carteiras de investimentos para renda fixa

Os investimentos em renda fixa hoje em dia são considerados tão seguros quanto a poupança. Com a melhoria de serem bem mais rentáveis. O ideal é que você procure a diversificação. Isso significa a busca por uma carteira de investimentos: uma forma de investir em vários tipos de fundos de investimento ao mesmo tempo. Tornando assim seus investimentos à prova de quaisquer flutuações. Isso garante não somente rentabilidade, mas uma boa segurança.

Se um tipo de investimento tem uma rentabilidade que possa não ser tão lucrativa, outro tipo de investimento que tenha essas características compensará. Por isso os investimentos em carteira variada são hoje alternativas interessantes além disso, algumas aplicações estão isentas de Imposto de Renda.

Como montar uma carteira de investimentos

Para montar uma carteira de investimento rentáveis, procure um profissional devidamente qualificado. Dessa forma será possível organizar um portfólio de investimentos com a verificação de resultados reais. Você também terá à sua disposição uma pessoa para lhe aconselhar e que entenderá bem as taxas, flutuações, padrões de indexação que sua impactará sua carteira de investimentos.

Brasil, um excelente país para investidores

Aqueles que procuram investir em renda fixa no Brasil não perderão dinheiro. A lucratividade desses investimentos em renda fixa é fomentada pelos altos juros. Essa alta de juros tornou o Brasil um país atrativo no mercado da especulação financeira, vindo assim desde o plano real. Foi um artifício utilizado pelo governo para controlar a inflação, isso fez com que os juros de empréstimos aumentassem muito. Consequentemente, os investidores acabaram se beneficiando pois poderiam obter bons rendimentos através da compra de títulos e ações no mercado financeiros. Por isso, pode-se considerar o investimento em títulos de renda fixa um excelente negócio no Brasil.

E a crise econômica?

O atual período de recessão econômica, por causa da crise política no Brasil, fez a taxa de juros retroceder. Isso não impede o investidor de lucrar com títulos de renda fixa. Apesar de não chegar mais ao patamar de 7% ao mês quando o plano real foi criado, a diversificação da carteira de investimentos pode garantir retornos interessantes.

Títulos isentos de Imposto de Renda

Um foco muito interessante aos investidores, são os fundos de renda fixas que estão isentos de Imposto de Renda. Isso faz, consequentemente, a compensação entre os patamares baixos dos juros atuais e as expectativas dos investidores. Ativos que também possam garantir mobilidade são os mais recomendáveis de acordo com a conjuntura atual.

Os títulos LCIs, as LCAs, CRIs e CRAs, bem como os Debêntures são isentos de Imposto de Renda. Com isso, essas modalidades de investimentos se tornam mais atraentes, possibilitando ganhos que não tenham anualmente ou semestralmente o Imposto de Renda descontado.

É importante dizer que as taxas de investimentos em renda fixa que estão isentos de IR são menores. Tornando assim esses títulos mais atraentes a investidores que buscam uma rentabilidade não tão alta porém maior segurança. São investidores com perfil mais conservador, que não buscam tanto as aplicações do mercado acionário.

Uma carteira ideal de renda fixa para investir?

É possível comprar pacotes sugeridos pelas agências e instituições para investimentos. Nas corretoras há opções de carteiras que são sugeridas com base em estimativas mensais e anuais. Essa é a maior tendência no mercado de investimentos para especulação. Dois fatores são procurados nesse tipo de opção:

  • A diversificação da carteira de investimentos em renda fixa traz segurança porque no caso de haver quedas por um tipo de título, haverá compensações por outros.
  • Diversificar também aumenta a rentabilidade, é possível investir numa grande quantidade de títulos com taxas de lucratividade altas.

É a segurança conciliada aos ganhos, perfeito para quem deseja iniciar e também para investidores mais experientes que desejam diversificar ainda mais as suas opções.

Prazos

Os prazos para obter rentabilidade em investimentos com títulos de renda fixa é de no mínimo um ano, dependendo da modalidade será interessante consultar o seu agente para analisar o caso. CDBs de bancos médios e pequenos costumam ser rentáveis para aplicações a curto prazo (de um ano), já aplicações no tesouro são ideais para investidores que procuram obter lucro a longo prazo (geralmente três anos).

Conclusão

Mesmo hoje, com todas as características atuais da economia brasileira investimentos em títulos de renda fixa são muito atrativos para os brasileiros. Apesar de não terem rentabilidades estratosféricas como as de investimentos mais arriscados, são seguros e considerados rentáveis a partir do médio prazo. Esses investimentos têm boas rentabilidades com baixo risco, podendo ser considerados uma forma de lucro interessante, sem prejuízos.

Originally posted 2018-04-06 15:13:02.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *